quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

29/01

Para primeiro dia de recomeço eu até que fui bem. Almocei porque minha mãe me obrigou (arroz, peixe, batata inglesa e cenoura e sorvete - ok enfiei o pé na jaca um pouco), comi agora pela noite um pacotinho de club social com um copo de laranja caseira, no total acho que foi positivo.
Meu dia hoje foi bem normal: fui trabalhar e a noite fui para o ballet, mas não teve aula e voltei para casa cedo, queria ter feito aula para tentar perder um pouco do sorvete que eu consumi, mas não rolou.

Atualizando: tô solteira, sozinha na verdade! depois eu conto sobre a história mega enrolada com o boy.

Gente achei uma receita na internet que eu nunca fiz, mas vou tentar, parece ser uma delícia e eu que adoro sorvete, então... a foto tá lá para baixo.
Ps: esse app do blogger é horrível :(

Sobre a vida...

A minha última postagem foi em abril do ano passado e a primeira em março de 2013, durante esse tempo todo eu vivi com a ana, ela viveu em mim na verdade, ela vive em mim. Bem dá para tirar de como vai a vida né, são 04:50 da manhã e eu tô aqui a quase um ano depois resolvendo postar em uma das coisas que foi a minha âncora durante tanto tempo, eu nem sei se as mesmas pessoas ainda continuam por aqui...
mas eu voltei, acredito que voltei,  é necessário,  tô infeliz, tô triste, aqui eu não preciso fingir que tá tudo bem, quando tudo dentro de mim desmorona. Preciso da Ana, preciso de vocês,  quero me sentir bem comigo mesma, não quero mais mentir e nem fugir mais. Cansei da vida, cansei de uma forma que se ela acabasse agora eu talvez fosse agradecer. Preciso de suporte,  preciso de alguém que me entenda.  Preciso de amor, de carinho, de abraços, de um eu te amo, eu não sou forte, eu nunca fui,  eu finjo que sim, finjo até para mim mesma.
Resolvi apagar as postagens antigas, elas me lembram uma pessoa que eu não quero ser mais, eu quero ser outra pesssoa, nem que para isso eu tenha que sofrer, fisicamente,  mas não dá mais, eu preciso mudar.

Eu tô de volta,  mas eu não sou a mesma. E pela primeira vez eu vou falar o meu nome, Clara.